Com crise no Palácio do Planalto, Ibovespa abre em queda

Às 11:25, o índice caía 1,27 por cento, a 61.840 pontos. Na semana passada, o índice teve perda de 8,18 por cento

São Paulo – O principal índice da bolsa paulista caía nesta segunda-feira, com o mercado ainda pressionado pelo cenário político local após as denúncias que vieram à tona na semana passada envolvendo o presidente Michel Temer.

Às 11:25, o Ibovespa caía 1,27 por cento, a 61.840 pontos. Na semana passada, o índice teve perda de 8,18 por cento, na esteira da tensão política. O giro financeiro era de 2,2 bilhões de reais.

Investidores aguardam a análise prevista para quarta-feira no Supremo Tribunal Federal (STF) de pedido de suspensão do inquérito contra Temer por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça. A investigação foi aberta com base em acordo de delação fechado pelo empresário Joesley Batista, um dos controladores da JBS.

Temer voltou a afirmar que não deixará o cargo, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, embora siga enfrentando pedidos de impeachment e crise em sua base de apoio, o que pode dificultar sua governabilidade caso permaneça no cargo.

“O PSDB e o DEM acabaram não realizando suas reuniões para seguir ou não na base de apoio do presidente, mas em compensação a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) pediu seu impeachment e o PSD saiu da base do governo”, escreveu o economista-chefe da corretora Modalmais, Alvaro Bandeira, em nota a clientes.

Destaques

– JBS ON caía 14 por cento. As incertezas quanto aos desdobramentos das delação dos executivos da empresas somam-se às pressões recentes para o papel em meio a operações da Polícia Federal envolvendo a empresa. Apenas na primeira hora de pregão a empresa já havia perdido cerca de 3 bilhões de reais em valor de mercado. Na sexta-feira, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu mais quatro processos para apurar denúncias de irregularidades em negócios nos mercados de capitais realizados por empresas dos irmãos Joesley e Wesley Batista, incluindo a JBS.

– Petrobras PN tinha baixa de 2,3 por cento e Petrobras ON perdia 1,5 por cento, cedendo à pressão negativa no mercado, apesar da alta nos preços do petróleo.

– Itaú Unibanco PN cedia 1,8 por cento e Bradesco PN recuava 2,4 por cento, ajudando o tom negativo do Ibovespa devido ao peso no índice. Banco do Brasil ON tinha baixa de 2,5 por cento e Santander UNIT perdia 1,1 por cento.

– Cyrela Realty ON tinha queda de 6,75 por cento. No radar estava a informação da empresa que vai destinar 130 milhões de reais a reconstrução e indenizações de resort em Vitória (ES).

– Vale PNA tinha alta de 1,7 por cento e Vale ON ganhava 1 por cento, em sessão de ganhos para os futuros do minério de ferro na China.

– Fibria ON subia 8,2 por cento, em sessão de alta do dólar frente ao real. Na sexta-feira, analistas do Credit Suisse melhoraram a recomendação para os papéis da empresa para “outperform” e elevaram o preço-alvo para 40 reais, diante do novo cenário para o câmbio após os últimos acontecimentos políticos no Brasil.

Veja também