Ibovespa inverte sinal e passa a cair após ata do Fomc

Às 15h52, o Ibovespa recuava 0,08 %, a 56.228 pontos, após ter chegado a avançar 1,48 % pela manhã na máxima da sessão

São Paulo – A Bovespa migrou para o campo negativo na tarde desta quarta-feira, com investidores digerindo declarações do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, e a ata da última reunião de política monetária da instituição.

Às 15h52, o Ibovespa recuava 0,08 %, a 56.228 pontos, após ter chegado a avançar 1,48 % pela manhã na máxima da sessão. O giro financeiro do pregão era de 5,87 bilhões de reais.

Perante um comitê do Congresso dos Estados Unidos, Bernanke sugeriu que o BC do país não está pronto para reduzir seus esforços para estimular a economia, mas sinalizou que isso pode acontecer se a recuperação continuar a dar sinais de força.

Investidores também avaliavam sinais de divisões no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), depois que a ata da última reunião mostrou debate intenso sobre quando o Fed deveria começar a reduzir seu programa mensal de compra de 85 bilhões de dólares em títulos.

Este cenário fez com que os índices em Wall Street anulassem os ganhos iniciais e passassem a cair nesta tarde, movimento que a Bovespa seguia de perto. “O mercado está cauteloso, avaliando todas essas informações”, disse o estrategista Luis Gustavo Pereira, da Futura Corretora.

Por aqui, as ações das blue chips Vale e Petrobras pesavam no Ibovespa, mas o recuo era limitado pelo avanço da petrolífera OGX e da elétrica estatal Eletrobras ─ que avançava pelo terceiro dia consecutivo.

Na cena doméstica, destaque para a desaceleração da prévia da inflação oficial do país em maio, num resultado melhor que o esperado pelo mercado. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,46 % em maio, ante avanço de 0,51 % em abril, segundo dados divulgados pela manhã.