Ibovespa acumula pior resultado para janeiro desde 1995

Índice da bolsa fechou o mês com baixa de 7,51%, a maior queda desde os 10,77% de janeiro de 1995

São Paulo – A Bovespa fechou a última sessão do mês em alta, ajudada pelas ações dos bancos e pela recuperação dos papéis da Petrobras e da Vale. No entanto, o resultado acumulado pela bolsa em janeiro é o pior para esse mês em quase 20 anos. Depois das fortes quedas registradas nas duas últimas sessões, os investidores aproveitaram os preços baixos das ações, o que contribuiu para impulsionar o Ibovespa, apesar do desempenho negativo das bolsas em Nova York.

No fim da negociação, a Bovespa subiu 0,84%, aos 47.638,99 pontos. Na máxima do dia, a bolsa atingiu 47.652 pontos (+0,86%) e na mínima somou 46.814 pontos (-0,91%). O Ibovespa fechou o mês de janeiro com baixa de 7,51%, a maior queda desde os 10,77% de janeiro de 1995. O volume de negócios totalizou R$ 6,922 bilhões.

Segundo um analista, o fraco resultado da Bovespa no primeiro mês do ano é o retrato de como o Brasil vem sendo administrado. “Isso é como o investidor estrangeiro vê o Brasil e está refletido no desempenho da bolsa e no câmbio. A bolsa é muito sensível e reflete muito a expectativa sobre o crescimento e gestão do País”, ressaltou.

A Bovespa perdeu o nível dos 47 mil pontos logo na abertura dos negócios, seguindo a queda das bolsas europeias e dos índices futuros em Nova York em meio ao nervosismo em relação à crise nos países emergentes. A aversão ao risco foi impulsionada por indicadores econômicos fracos. O déficit comercial da Turquia avançou 18,7% em 2013, para US$ 99,78 bilhões, de US$ 84,08 bilhões no ano anterior. Já a taxa anual de inflação da zona do euro recuou para 0,7% na leitura preliminar de janeiro, abaixo de 0,8% em dezembro. O resultado marcou a volta do índice de preços para o menor patamar recorde atingido em outubro do ano passado.

No Brasil, o BC divulgou que o setor público consolidado apresentou superávit primário de R$ 91,306 bilhões em 2013, o que representa 1,90% do PIB. O valor foi o menor desde 2009, quando o saldo positivo foi de R$ 64,8 bilhões, e o porcentual, o menor da série histórica, iniciada em dezembro de 2001. Em 2012, houve superávit de R$ 104,951 bilhões (2,39% do PIB).

Apesar da continuidade do clima negativo no exterior, a Bovespa conseguiu inverter a trajetória de queda à tarde e atingiu máximas na sessão, impulsionada pela alta dos papéis da Petrobras. Segundo um operador ouvido pelo Broadcast, bancos e corretoras estrangeiros lideram as compras das ações da companhia. Na reta final do pregão, os papéis registraram volatilidade em meio ao andamento da reunião do conselho de administração da estatal. Petrobras PN ficou estável e Petrobras ON subiu 0,95%.

No setor financeiro, as ações dos bancos apresentaram forte alta. Bradesco PN (+1,71%), Itaú Unibanco PN (+2,57%) e Banco do Brasil (+3,68%). Santander Unit, ao contrário, recuou 1,31%.

Ainda entre as altas da bolsa, as ações PNA e ON da Vale subiram 0,81% e 1,69%, respectivamente.