Ibovespa abre pressionado

O índice foi pressionado pela forte queda das ações da Petrobras e da Vale

São Paulo – O Ibovespa experimenta mais um dia ruim para os negócios, pressionado pela forte queda das ações da Petrobras e da Vale e em sintonia com o mau humor generalizado visto nas pares internacionais.

Ao mesmo tempo, o investidor acompanha a partir de agora a participação do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, em audiência na Comissão Mista de Orçamento da Câmara, onde acaba de chegar.

Segundo ele, a situação da economia internacional “continua complexa”, mas há perspectiva de retomada da atividade no Brasil. Hoje os mercados refletem temores com a desaceleração da economia chinesa e com o início de aperto monetário nos Estados Unidos em 2015.

Às 10h28, o Ibovespa perdia 0,31%, aos 50.101,48 pontos. Nas bolsas do exterior: Dow Jones futuro -0,35%, S&P 500 futuro -0,73%, Londres -1,39%, Paris -1,48% e Frankfurt -1,09%.

As ações da Petrobras caíam 3,39% (PN) e 2,89% (ON), após terem desvalorizado 6% ontem, enquanto as da Vale perdiam 2,16% (PNA) e 2,27% (ON).

Os papéis da mineradora são afetados pela notícia de acordo de investimento com a Mitsui para venda de 15% da participação na Vale Moçambique e 50% da participação de 70% da Vale no Corredor Logístico de Nacala (CLN) por US$ 450 milhões.

Além disso, o minério de ferro segue em queda e hoje 0,4% no mercado à vista chinês, para US$ 69,4 a tonelada.

Já os papéis da petroleira são castigados por uma enxurrada de notícias negativas ligadas à estatal em meio a investigações de denúncias de corrupção e na semana em que a Petrobras divulga seu balanço não auditado do terceiro trimestre, na sexta-feira, 5.