Grã-Bretanha puxa alta de bolsas europeias

Londres – O principal índice das ações europeias encerrou a terça-feira em alta, puxado pela boa performance da Grã-Bretanha, onde os bancos foram o destaque.

Os ganhos, no entanto, foram contidos em meio a notícias de uma fraca demanda em um leilão de bônus italianos e com a fraqueza de dados sobre o consumidor norte-americano.

Entre os destaques de alta, o banco britânico Royal Bank of Scotland subiu 7,9 por cento, depois que o Deutsche Bank elevou sua recomendação de “manter” para “comprar”.

O índice FTSEurofirst 300, que mede o desempenho dos principais papéis do continente, teve alta de 1 por cento, a 940 pontos. O volume do pregão foi fraco: apenas 75,2 por cento da média diária dos últimos 90 dias, sugerindo que o movimento de alta não teve muita convicção.

Preocupações sobre a dívida colocaram os bancos italianos entre os piores desempenhos do dia, depois de um leilão de bônus do país ter pouca demanda. O Intesa Sanpaolo perdeu 2 por cento.

“A notícia negativa foi o leilão de bônus italiano, que é uma preocupação”, disse Andrea Williams, do Royal London Asset Management.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 2,7 por cento, a 5.268 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,46 por cento, para 5.643 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,18 por cento, a 3.159 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,23 por cento, para 15.106 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 avançou 0,59 por cento, a 8.444 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em queda de 0,12 por cento, para 6.173 pontos.