Fundo de venture capital KPTL lucra com IPO da empresa de sites Locaweb

Há cinco meses, gestora vendeu Delivery Direto para a Locaweb e recebeu, em troca, uma participação acionária. O retorno na negociação alcançou 250%

São Paulo – Em geral, o ciclo das startups começa com o aporte de investidores-anjo, passa pela carteira de fundos de venture capital e chega ao portfólio de gestoras de private equity. Por fim, elas são adquiridas por grandes companhias ou fazem abertura de capital (IPO na sigla em inglês). Porém, a Locaweb que faz hospedagem de sites — e cujas ações começaram a ser negociadas na quinta-feira (6) — tem um enredo diferente. E o motivo é a empresa de aplicativos de gestão de restaurantes Delivery Direto (Kekanto).

A Locaweb comprou a Delivery Direto dos fundos de venture capital KPTL, Accel Partners e Kaszek Ventures, em setembro do ano passado. Mas, em vez de a KPTL receber o pagamento em dinheiro, preferiu ficar com uma participação da Locaweb. E é aí que a história fica diferente: uma gestora de venture capital participou de um IPO local que captou 1,03 bilhão de reais.

Nos Estados Unidos, é mais comum esse tipo de operação acontecer, porque empresas de menor porte se listam nas bolsas. Aqui, é mais difícil — aliás, uma das metas da B3 em 2020 é incentivar as companhias médias se listarem.

“Ficamos com uma fatia minoritária da Locaweb, nada que vai gerar impacto para a empresa nem para os investidores no dia que vendermos a nossa posição”, explica Renato Ramalho, presidente da KPTL. “Decidimos por esse tipo de transação por entender que há bastante consistência nos números e na administração da companhia.”

Veja também

Ramalho não revela a fatia que detém na Locaweb, mas diz que o retorno obtido na negociação alcançou 250% (sem levar em conta a valorização de 19,4% das ações no dia da estreia). “Em algum momento, vamos ter que fazer liquidez (vender os papéis), pois é um fundo de venture de capital, não de ações.”

Especificamente o fundo que detém os papéis da Locaweb está em processo de desinvestimento — jargão do mercado para venda de ativos. Processo esse que deve ter fim em 2022, quando se espera que todas as empresas já tenham sido vendidas. “O nosso retorno médio anual para os investidores tem sido de 20%”, diz. 

A KPTL como um todo tem 1 bilhão de reais sob gestão e o objetivo, neste ano, é dobrar de tamanho. Para isso, estão captando um fundo voltado para startups mais maduras de agronegócio e a expectativa é levantar 600 milhões de reais. Em abril, vão abrir a captação de outro fundo de 300 milhões de reais voltado para startups de saúde.