França se diz chocada com “rebaixamento falso” do rating

Standard and Poor’s enviou erroneamente uma mensagem com o corte da nota AAA do país

São Paulo – Os mercados financeiros ficaram espantados com a notícia de que a França, um país com a capacidade de pagamento das suas dívidas avaliado em AAA, poderia perder o grau máximo de confiança da sua nota de classificação de risco. Mas tudo não passou de um erro.

A agência Standard and Poor’s distribuiu equivocadamente um comunicado no qual teria rebaixado o triplo A do país. O anúncio levou a uma nova onda de pessimismo à já combalida zona do euro com os problemas na Itália, Portugal e Grécia.

Os títulos da dívida do governo francês tiveram o pior dia desde a criação do euro em 1999. Apenas duas horas depois a S&P se apressou a dizer que a revisão era um erro e que “os ratings da República da França continuam em ‘AAA/A-1+’ com a perspectiva estável”.

O ministro das finanças do país, Francois Baroin, avaliou o ocorrido como “muito chocante” e pediu aos reguladores uma investigação sobre as causas e consequências dele. “Nós temos uma estratégia, um comprometimento em termos de redução do déficit”, disse ele durante uma conferência econômica em Lyon.

“Este incidente é grave e demonstra que, na atual situação extremamente volátil e tensa dos mercados, os atores destes mercados devem dar provas de rigor e de um alto senso de responsabilidade”, declarou Michel Barnier, comissário europeu responsável pelos serviços financeiros.

O comunicado da S&P:

“Como o resultado de um erro técnico, a mensagem foi automaticamente disseminada hoje para alguns assinantes do Portal de Crédito Global da S&P sugerindo que o rating de crédito da França tinha sido alterado. Esse não é o caso: os ratings da República da França continuam em ‘AAA/A-1+’ com a perspectiva estável, e esse incidente não tem relação com qualquer atividade de vigilância de ratings. Estamos investigando a causa do erro”.