Fator já projeta dólar a R$ 2,40 no ano que vem

Incertezas sobre a política monetária americana motivaram a mudança nas projeções

São Paulo – A equipe econômica do banco Fator já projeta o dólar em torno de 2,40 reais em 2014, mostra um relatório mensal divulgado nesta semana. O texto, de autoria de José Francisco de Lima Gonçalves e Helcio Takeda, argumenta que a piora do cenário econômico mundial é o responsável pela revisão dos principais indicadores macroeconômicos brasileiros pelo banco.

Um ponto que chamou a atenção dos economistas está na última ata do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central, divulgado no dia 6 de junho. A equipe do presidente do BC, Alexandre Tombini, destacou ter observado “evidências de acomodação dos preços de commodities nos mercados internacionais, bem como de maior volatilidade e de tendência de apreciação do dólar dos Estados Unidos”, mostra a ata.

“Assim, não há mais a referência à dinâmica dos preços de certos ativos reais e financeiros que, em níveis adequados, seriam desinflacionários. O dólar fica como a novidade, acrescentando incerteza dado o efeito da zerada do IOF versus a discussão sobre a política monetária nos EUA”, lembram os economistas.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, cortou no dia 4 de junho a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) referente ao ingresso de capital estrangeiro em aplicações de renda fixa de 6% para zero. Na noite de ontem, Mantega fez uso do IOF mais uma vez e zerou a alíquota, que estava em 1%, sobre posições vendidas e compradas no mercado de câmbio.

A Fator Corretora reduziu a estimativa do PIB em 2013 de 2,9% para 2,4% e, para 2014, de 3,5% para 3%. As projeções para a produção industrial e varejo também foram cortadas. “A principal consequência desse conjunto foi a revisão da trajetória da taxa de câmbio para R$ 2,10 em 2013 e R$ 2,40 para 2014”, destacam.

O dólar saltou do nível de 1,94 real em março para o nível de 2,15 reais nesta quarta-feira, uma alta de quase 11% e o maior nível em 4 anos.

Desmpenho do dólar contra o real nos últimos 3 meses: