Euro opera perto da estabilidade com eleição na Itália

A moeda única europeia se mantém abaixo de US$ 1,31 e é negociada numa faixa bem estreita, após recuar a US$ 1,3018, seu menor nível em sete semanas

Londres – O euro opera perto da estabilidade ante o euro na sessão europeia, com participantes do mercado de câmbio ignorando o resultado inconclusivo das eleições gerais na Itália e aguardando o depoimento do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, no Congresso norte-americano.

A moeda única europeia se mantém abaixo de US$ 1,31 e é negociada numa faixa bem estreita, após recuar a US$ 1,3018, seu menor nível em sete semanas, no final dos negócios da Ásia. O tom de tranquilidade difere do de outros mercados europeus, com as ações mostrando fortes perdas e o yield (retorno ao investidor) dos bônus italianos subindo para níveis verificados em novembro.

O pleito na Itália, realizado nos dois últimos dias, acabou sem um vencedor claro e agora os analistas preveem difíceis negociações entre as diferentes facções políticas do país para a formação de um novo governo.

Os investidores aguardam o depoimento semestral de Bernanke no Comitê Bancário do Senado, nesta terça-feira, em meio a incertezas de quando o banco central dos EUA pretende encerrar o atual programa de relaxamento quantitativo.

“Se for esclarecido o que vai acontecer com (o programa do Fed), aí poderemos ver uma reação bem forte nos mercados de câmbio”, disse Christian Lawrence, estrategista cambial do Rabobank em Londres. Steven Barrow, estrategista de câmbio do Standard Bank, concorda e diz que o dólar pode se desvalorizar se Bernanke sinalizar que o Fed não está com pressa de suspender ou desacelerar as compras de ativos. Também nos EUA, saem indicadores de confiança do consumidor e vendas de novas moradias.

Já a libra bateu a mínima da sessão, US$ 1,5129, após o vice-presidente de estabilidade financeira do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), Paul Tucker, dizer que ninguém no comitê de política monetária da instituição acredita que as medidas de estímulo chegaram ao fim.

Às 10h50 (pelo horário de Brasília), o euro era negociado a US$ 1,3074, ante US$ 1,3062 no fim da tarde de segunda-feira (25) em Nova York. Frente à divisa japonesa, o dólar subia para 91,98 ienes, de 91,83 ienes na segunda-feira (25). A libra estava cotada em US$ 1,5153, ante US$ 1,5160 na segunda-feira (25). O índice do dólar medido pelo Wall Street Journal estava em 72,572, ante 72,655. As informações são da Dow Jones.