Euro opera com baixa pressionado por Espanha

Dados fracos sobre a atividade do setor privado da zona do euro derrubam a moeda

Londres – O euro opera em queda diante do dólar e do iene, pressionado pelas preocupações com a Espanha e pelos dados fracos sobre a atividade do setor privado da zona do euro, durante uma sessão de baixo volume de negócios em razão do feriado em Londres para comemoração dos 60 anos de reinado de Elizabeth II.

O movimento de queda vem após uma consolidação dos ganhos do euro durante a sessão asiática. “Eu esperava que o rali perdesse força por causa de todas as incertezas que ainda estão no mercado”, comentou Antje Praefcke, estrategista do Commerzbank. “Em um mercado com poucos negócios, deve-se esperar alguns movimentos mais fortes do que o normal”, acrescentou.

Com isso, alguma realização de lucros foi provocada por operadores cautelosos antes da teleconferência entre ministros e representantes de bancos centrais dos países do G-7, prevista para esta terça-feira, e da decisão do Banco Central Europeu (BCE) sobre juros, na quarta-feira. Também pesou sobre o euro a entrevista do ministro da Fazenda e Orçamento da Espanha, Cristóbal Montoro, na qual ele afirmou que a UE precisa agir mais rapidamente para ajudar seu país porque ele não pode ser resgatado.

Outro fator negativo foi o índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços da zona do euro, que caiu em maio para 46,7, o menor nível desde novembro do ano passado. As vendas no varejo da zona do euro registraram queda de 1,0% em abril ante março, maior do que a de 0,2% prevista pelos economistas ouvidos pela Dow Jones, e as encomendas à indústria da Alemanha diminuíram 1,9% em abril, mais do que o esperado.

Às 8h42 (pelo horário de Brasília), o euro caía para US$ 1,2412, de US$ 1,2502 no fim da tarde de segunda-feira, e para 97,11 ienes, de 97,93 ienes. O dólar recuava para 78,23 ienes, de 78,35 ienes, e a libra operava a US$ 1,5341, de US$ 1,5380 ontem. As informações são da Dow Jones.