Especulação com eleição faz a Bolsa cair nesta quarta-feira

Ibovespa fechou em queda de 0,66% aos 57.058 pontos

São Paulo – O Ibovespa interrompeu a sequência de fechou em queda de 0,66% nesta quarta-feira, aos 57.058 pontos.

O mercado aguarda o pronunciamento de Marina Silva marcado para amanhã. Ela já sinalizou que pretende apoiar Aécio Neves (PSDB), entretanto a aliança terá que passar por um “acordo pragmático”.

Na Europa, as ações recuaram com altos volumes negociados. O índice FTSEurofirst 300 das principais ações europeias fechou com recuo de 0,85 aos 1.319 pontos. O índice referencial perdeu 6,5% durante as últimas três semanas.

É preciso mudar

A agência de classificação de risco Moody’s Investors Service divulgou um relatório que aumentou a pressão sobre quem quer que vença as eleições presidenciais no Brasil para que mude o curso da política monetária, alertando que “mais do mesmo” terá impacto negativo sobre o rating de crédito do país.

A agência revisou no mês passado sua perspectiva para a classificação Baa2 do Brasil para negativa, ante estável, dizendo que a classificação pode ser rebaixada caso veja indícios de que o próximo governo não vai apertar a política fiscal e se o crescimento econômico permanecer entre 1 e 2%.

As estatais e as eleições

A especulação com os resultados das primeiras pesquisas eleitorais para presidente no segundo turno, que devem ser apresentadas a partir de amanhã, derrubaram os papéis das estatais. A ação ordinária e preferencial da Petrobras fechou em queda de 1% e 1,13%, respectivamente.

Renúncia

As ações preferenciais da Oi registraram queda de 7,83% no pregão de hoje. O presidente-executivo da operadora Zeinal Bava renunciou ao cargo, o que foi avaliado negativamente por analistas do Credit Suisse.

Em busca de alternativas

A ação ordinária da TIM fechou em alta de 1,68% no pregão de hoje. A empresa confirmou nesta quarta-feira a contratação de consultoria financeira do Bradesco para avaliar “alternativas estratégicas”.