Entenda o que são e como funcionam o grupamento e o desdobramento de ações

Entenda o que são e para que servem esses dois processos comuns no mercado acionário

São Paulo — O desdobramento e o grupamento de ações são eventos comuns no mercado acionário, mas que podem gerar dúvidas nos investidores.

O desdobramento, também chamado de split, é feito quando a administração da empresa acredita que a cotação de seus papéis está elevada e que isso pode prejudicar a entrada de novos investidores. Desta forma, ela decide aumentar a quantidade de papéis em circulação no mercado para facilitar sua negociação.

Com isso, a cotação do papel é reduzida. O valor da empresa, no entanto, permanece o mesmo, assim como o valor do investimento dos acionistas.

Por exemplo, se um investidor detém 100 ações ao preço de 8 reais cada uma, terá um investimento total de 800 reais. Se a companhia resolve dividir cada ação em duas, o investidor passará a ter 200 ações ao preço de 4 reais. Sua aplicação continuará sendo os mesmos 800 reais.

O grupamento, ou inplit, funciona de maneira oposta. Quando a companhia julga que a cotação de sua ação está baixa, ela pode reunir várias ações em uma. Em geral, esse processo reduz a volatilidade dos papéis.

A operação, assim como no desdobramento, não altera o valor do investimento. Se um acionista possui 100 ações ao preço de 1 real cada, terá um investimento total de 100 reais. Se a empresa resolve grupar cinco ações em uma, o investidor passará a ter 20 ações ao preço de 5 reais cada e seu investimento valerá os mesmos 100 reais.

Veja também

Fonte: Comissão de Valores Mobiliários