Eletrobras busca distribuir 50% do lucro a acionistas

A empresa pretende continuar investindo na expansão, também por meio de participação em leilões, segundo o diretor, e avalia cenários diversos de redução da alavancagem

São Paulo – A Eletrobras vai perseguir a meta de distribuição de 50 % do lucro em dividendos, embora isso ainda não seja uma política formalizada na empresa que aumentou a remuneração dos acionistas referente ao lucro de 3,7 bilhões de reais em 2011.

“Nós ainda não temos uma política de dividendos definida… Mas estamos perseguindo a meta de colocar o ‘payout’ de 50 %”, disse o diretor de Finanças e de Relações com Investidores da empresa, Armando Casado de Araújo, em teleconferência com analistas nesta quarta-feira.

Casado de Araújo lembrou que embora a empresa busque manter a distribuição de dividendos, o intensivo programa de investimento da companhia pode, em determinado momento, alterar a remuneração dos acionistas.

A empresa pretende continuar investindo na expansão, também por meio de participação em leilões, segundo o diretor, e avalia cenários diversos de redução da alavancagem e suporte das intenções de crescimento em seu plano de negócios.

O executivo lembrou que o plano ainda não foi divulgado diante da indefinição sobre as concessões do setor elétrico que vencem a partir de 2015, decisão que o governo ainda não tomou e que é esperada pelo mercado para ocorrer ainda no primeiro semestre deste ano.

“Vamos trabalhar com uma solução onde a Eletrobras não deixe de participar dos investimentos do setor elétrico, principalmente aqueles voltados para a agregação física… Estamos discutindo a rentabilidade dos nossos negócios, as condições em que a gente entrará nos próximos investimentos”, disse.


Casado de Araújo reafirmou que acredita que as concessões serão renovadas, embora o governo ainda não tenha anunciado a decisão.

Distribuição

O plano de negócios no qual a Eletrobras está trabalhando também foca na busca da eficiência operacional das empresas controladas, com destaque para as de distribuição de energia.

Segundo ele, as distribuidoras já demonstram melhora nos resultados e estão se consolidando, ao irem sendo interligadas ao sistema elétrico nacional.

As distribuidoras no Amazonas, Alagoas, Rondônia, Roraima e Piauí tiveram um prejuízo de 931 milhões de reais em 2011, uma redução ante o prejuízo de 1,6 bilhão de reais em 2010. A receita operacional dessas empresas passou de 3,9 bilhões de reais em 2010 para quase 4,1 bilhões de reais em 2011.

O diretor da Eletrobras disse ainda que o próximo passo na operação de aquisição de 51 % na distribuidora de energia goiana Celg será a assinatura de documentos que deve ocorrer nos próximos dias.

“Com esses instrumentos cria-se o Conselho de Administração da Celg D”, disse ele, ao completar que também serão eleitos os diretores que irão liderar a companhia. Atualmente, a empresa conta com uma diretoria de transição.

Casado de Araújo espera que a conclusão total da operação envolvendo a Celg ocorra no segundo semestre.