Elétricas sobem com possível prorrogação de concessões

A Cesp subia 2,5 por cento para R$ 36,71 às 16:58, o maior nível desde março de 2008, enquanto a Centrais Elétricas Brasileiras SA avançava 3,3 por cento para R$ 26,75

São Paulo – A Cia. Energética de São Paulo tinha a maior alta em quase quatro anos diante da alta das companhias do setor elétrico brasileiro, puxadas pela perspectiva de prorrogação de concessões por 30 anos.

A Cesp subia 2,5 por cento para R$ 36,71 às 16:58, o maior nível desde março de 2008, enquanto a Centrais Elétricas Brasileiras SA avançava 3,3 por cento para R$ 26,75. O índice do MSCI que acompanha ações do setor subia 0,7 por cento, o único ganho entre 10 setores.

O governo está próximo de tomar a decisão de prorrogar as concessões de usinas hidrelétricas, distribuidoras de energia e linhas de transmissão que vencem em 2015 por 30 anos, segundo reportagem de hoje do Valor Econômico, que cita um auxiliar direto da presidente Dilma Rousseff sem identificá-lo.

A notícia foi vista como positiva, disse hoje o analista Rafael Andreata, da Planner Corretora, em entrevista por telefone de São Paulo. “A Cesp e a Eletrobrás são as que têm mais concessões vencendo em 2015” e para o restante do setor, “traz um pouco mais de estabilidade.”

O valor do megawatt-hora das concessões pode cair pelo menos 25 por cento, ante a tarifa ao redor de R$ 100 praticada atualmente, segundo o jornal. Um valor entre R$ 70 e R$ 75 ainda suportaria a geração de caixa das companhias, disse Andreata.