Ecorodovias despenca após vencer leilão com deságio elevado

Papel da empresa de logística recua 5,4%, para R$ 12,10

São Paulo – A Ecorodovias Infraestrutura e Logística SA teve o pior recuo em cinco meses em meio a especulações de que a companhia ofereceu um deságio muito alto para vencer o leilão dos direitos de operar a rodovia BR-101 no trecho que liga Mucuri, na Bahia, à divisa entre Espírito Santo e Rio de Janeiro.

A ação recuava 5,4 por cento, para R$ 12,10, às 13:15, a maior queda desde 8 de agosto. O Ibovespa avançava 1,15 por cento.

O consórcio Rodovia da Vitória, liderado pela Ecorodovias, foi o vencedor do leilão para operar o trecho da rodovia BR-101, com cerca de 476 quilômetros, que demanda investimentos de R$ 2,15 bilhões pelos 25 anos de concessão. Outros sete grupos participaram da disputa, realizada hoje.

A empresa venceu a concorrência após oferecer cobrança de R$ 0,03391 de pedágio por quilômetro da rodovia, um deságio de 45,63 por cento em relação à tarifa máxima estabelecida no edital, que era de R$ 0,06237 por quilômetro.

“O desconto de 46% proposto pela ECOR parece muito agressivo”, disseram analistas do Banco BTG Pactual SA em nota enviada a clientes.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres poderá realizar novos leilões até maio, para concessões de operação das rodovias BR-116 e BR-040, disse hoje Bernardo Figueiredo, diretor-geral da ANTT, a repórteres em São Paulo.