Duratex, Vivo e Klabin sobem com balanços trimestrais

Mercado reagiu positivamente aos resultados do quarto trimestre apresentados pelas empresas

São Paulo – Depois de terminar a quinta semana consecutiva em queda, o Ibovespa fechou o pregão desta segunda-feira com leve desvalorização de 0,14%, aos 56.617,56 pontos.

Os investidores avaliaram os resultados do quarto trimestre da Duratex, Vivo e Klabin. Veja a seguir o desempenho de cada ação após a divulgação dos balanços.

Duratex

No balanço divulgado após o fechamento do mercado na sexta-feira, a Duratex (DTEX3) apresentou crescimento de 65,4% no lucro líquido do quarto trimestre na comparação anual. Segundo a empresa, o resultado líquido de 149,4 milhões de reais no trimestre foi favorecido pela melhora operacional.

Na opinião da analista Karina Freitas, da Concórdia, os desempenhos no trimestre e no ano foram acima das expectativas do mercado, sustentados pela expansão considerável da divisão de Madeira e modesta. A analista destaca ainda que a empresa foi beneficiada pela redução da alíquota de IPI para diversos setores – o moveleiro entre eles – e pela redução da taxa básica de juros. 

Em 2013, a Duratex deve se beneficiar ainda pela desoneração da folha de pagamentos para o segmento de Louças Sanitárias e pela redução das tarifas elétricas. Na avaliação de Karina, a recomendação para os papéis é de compra.

As ações encerraram o pregão desta segunda em alta de 2,38%, negociadas a 15,05 reais. 

Vivo

A Telefônica/Vivo (VIVT4) divulgou seu balanço trimestral antes da abertura do pregão de hoje. O lucro líquido registrado foi de 4,452 bilhões de reais em 2012 – alta de 2,1% em relação a 2011. A margem Ebitda (lucros antes de impostos, juros, depreciação e amortização, na sigla em inglês) ficou em 37,4%, crescimento de 1,8%. Segundo a empresa, o aumento das receitas de dados e serviços de valor adicionado, além da venda de ativos não estratégicos foram os principais responsáveis por esse aumento. 


A analista da Concórdia avaliou como positivo o resultado apresentado pela Telefônica. Dado que 2012 foi um ano em que o setor teve que lidar com a intensificação da supervisão na qualidade da prestação do serviço móvel pela Anatel, os resultados superaram as expectativas do mercado.

“A estratégia adotada pela Vivo para estimular o aumento dos serviços de dados e de maior valor agregado se mostrou eficiente, assim como sua atuação mais consistente no segmento pós-pago, que opera com maiores margens”, explica Karina.

Em sua análise, ela destaca ainda que o controle exercido sobre os gastos operacionais foi outro fator importante no desempenho da empresa. Para 2013, as expectativas seguem favoráveis para as ações da empresa.

As ações encerraram o pregão de hoje em alta de 3,26%, negociadas a 50,05 reais. 

Klabin

A produtora de papel para embalagens Klabin (KLBN4) teve alta de 20% no lucro líquido do quarto trimestre em relação ao mesmo período de 2011. A geração de caixa medida pelo Ebitda foi de 384 milhões de reais, alta de 7% na comparação anual. 

Na opinião dos analistas Catarina Pedrosa, Felipe Machado e Gabriel Laera do Espírito Santo Investment Bank, os resultados apresentados pela Klabin estão em linha com as estimativas e com o consenso do mercado.

“Nós reconhecemos os bons resultados apresentados pela empresa em 2012 e esperamos por mais melhorias a frente, mas nós acreditamos que as ações já estão precificadas”, explicam os analistas. A recomendação para os papéis é neutra.

No pregão de hoje, as ações fecharam em leve alta de 0,38%, negociadas a 13,28 reais.