Dólar termina em queda em dia de negócios fracos

No leilão diário programado, o Banco Central vendeu os 4 mil contratos de swap cambial ofertados

São Paulo – O dólar fechou a sessão em queda em relação ao real nesta segunda-feira, 19, pressionado pelos leilões de swaps cambiais do Banco Central, diante do baixo giro de negócios e da ausência de indicadores econômicos de peso no Brasil e no exterior.

No leilão diário programado, o Banco Central vendeu os 4 mil contratos de swap cambial ofertados.

A venda totalizou US$ 198,3 milhões para o vencimento em 2 de março de 2015. A taxa nominal desses contratos foi de 1,1196% e a linear, 1,106%.

Na oferta para rolagem, o BC vendeu 5 mil contratos de swap cambial que vencem em 2 de junho de 2014, totalizando US$ 247,3 milhões.

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) anunciou que a balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 563 milhões na terceira semana de maio, resultado de exportações de US$ 5,155 bilhões e importações de US$ 4,592 bilhões.

No acumulado do mês, o saldo comercial está positivo em US$ 789 milhões.

As vendas externas somam US$ 11,379 bilhões e as importações, US$ 10,590 bilhões.

Com o resultado de maio, o déficit comercial no acumulado do ano caiu para US$ 4,777 bilhões, com exportações totalizando US$ 80,691 bilhões e as importações somando US$ 85,468 bilhões.

Os números não tiveram muito impacto no mercado de câmbio, no entanto.

O dólar manteve as perdas durante a tarde, oscilando em intervalos estreitos.

A fraqueza da moeda norte-americana ante algumas divisas emergentes e ante o euro e o iene contribuiu para as perdas no mercado doméstico.

O dólar à vista fechou em R$ 2,2080 (-0,23%) no mercado de balcão.

O volume de negócios somava R$ 651 milhões, sendo 631 milhões em D+2.

No mercado futuro, o dólar para junho recuava 0,40%, a R$ 2,2155.