Dólar tem leves oscilações ante real à espera de ata do Fed

Às 11:54, o dólar recuava 0,07 por cento, a 3,2533 reais na venda, depois de subir 0,63 por cento na véspera, a 3,2555 reais

São Paulo – O dólar registrava leves oscilações ante o real nesta quarta-feira, monitorando o exterior à espera da ata do último encontro de política monetária do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, em busca de pistas sobre a trajetória de alta dos juros no país neste ano.

Às 11:54, o dólar recuava 0,07 por cento, a 3,2533 reais na venda, depois de subir 0,63 por cento na véspera, a 3,2555 reais. O dólar futuro tinha perda de cerca de 0,10 por cento.

“A expectativa dos agentes é de que a ata da última reunião (do Fed) traga um tom mais elevado para a trajetória prospectiva da taxa de juros”, resumiu o banco Bradesco em relatório.

O Fed divulga às 16h (horário de Brasília) o documento, que o mercado irá analisar em busca de indicações sobre o ritmo futuro de aperto monetário nos EUA e a possibilidade de mais altas dos juros este ano.

As últimas leituras sobre salários e inflação no país ficaram acima do esperado, o que teria provocado a violenta onda de vendas nos mercados acionários nas últimas semanas.

No exterior, o dólar subia ante a cesta de moedas, mas recuava ante divisas de emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

Internamente, o mercado monitora a cena política, depois que o governo desistiu de votar a reforma da Previdência neste momento e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), considerou o anúncio de uma pauta prioritária de 15 medidas para a economia no Congresso Nacional como um “equívoco”.

“Rodrigo Maia já se pronunciou contra as medidas…(e disse) que a pauta seguirá conforme o Congresso bem entender, ou seja, novamente Maia se ressente de não protagonizar eventos que possam ser capitalizados em seu favor como suposto candidato”, avaliou em relatório a gestora Infinity.

Ainda no radar estão as agências de classificação de risco, que avisaram que a suspensão da reforma previdenciária é um fator negativo sobre o rating brasileiro.

O Banco Central vendeu integralmente a oferta de até 9.500 contratos de swap cambial tradicional –equivalentes à venda futura de dólares– para rolagem do vencimento de março. Desta forma, já rolou 4,275 bilhões de dólares do total de 6,154 bilhões de dólares que vencem no mês que vem.

Mantido esse volume diário até o final do mês e vendendo os lotes todos, rolará integralmente os swaps que vencem agora