Dólar tem estabilidade apesar de aversão ao risco

No exterior, dados preocupantes sobre a economia norte-americana pesavam sobre o sentimento do investidor

São Paulo – O dólar rondava a estabilidade ante o real nesta sexta-feira, refletindo a baixa volatilidade do mercado de câmbio após intervenções de autoridades brasileiras. No exterior, dados preocupantes sobre a economia norte-americana pesavam sobre o sentimento do investidor, que esperava ainda por novas informações sobre a Espanha nesta sessão.

Às 12h16, a moeda norte-americana caía 0,10 por cento, para 2,0295 reais na venda. Em relação a uma cesta de moedas, o dólar avançava 0,42 por cento, enquanto o euro cedia 0,44 por cente frente à moeda dos Estados Unidos.

“O mercado está de olho lá fora, principalmente nos Estados Unidos e um pouquinho na Espanha”, afirmou o operador de câmbio da Interbolsa do Brasil Ovidio Soares. “Mas hoje a questão é entre comprado e vendido (em dólar), com investidores apenas rolando posições”, emendou.

A atividade empresarial do Meio-Oeste dos Estados Unidos encolheu pela primeira vez este mês desde setembro de 2009, informou o Instituto de Gestão de Fornecimento de Chicago, cujo índice caiu para 49,7 ante 53,0 em agosto. Economistas esperavam leitura estável de 53,0.

A confiança do consumidor norte-americano em setembro também ficou aquém das expectativas, com leitura de 78,3, enquanto economistas consultados pela Reuters esperavam 79,0.

Preocupações com a contínua crise da dívida europeia também deixava o sentimento do investidor vulnerável, apesar da divulgação na véspera do orçamento espanhol para 2013 e reformas econômicas no país terem animado os mercados.

Mas esse otimismo dissipou-se rapidamente para dar lugar a expectativas sobre o resultado dos testes de estresse dos bancos espanhóis que devem ser divulgados por volta das 13h (horário de Brasília). Espera-se ainda a revisão do rating de crédito da Espanha pela agência de classificação de risco Moody’s.

O mercado de câmbio brasileiro, entretanto, seguia travado perto de 2,02 e 2,03 reais, refletindo recentes intervenções do Banco Central e também declarações de autoridades brasileiras contra a valorização do real.