Dólar tem estabilidade ante o real com atenção ao BC

O mercado consolidou R$ 2 como um piso informal depois que o BC interveio com força em meados de setembro

O dólar tinha mais um dia de pouca variação ante o real nesta sexta-feira, apesar da aversão ao risco que impulsionava a moeda norte-americana no exterior. O dólar rondava o nível de 2,02 reais desde a véspera, aumentado a cautela do investidor para uma possível intervenção do Banco Central.

Às 11h47, a divisa dos Estados Unidos tinha ;eve alta de 0,04 por cento, a 2,0284 reais na venda. Segundo dados da BM&F, o volume negociado estava por volta de 310 milhões de dólares.

“Existe uma margem de segurança com a qual o pessoal trabalha. Então, quanto mais o dólar se aproxima de 2,02 reais, maior é a cautela do investidor, e maior fica o olho do Banco Central”, afirmou o gerente de câmbio da Fair Corretora, Mario Battistel.

O mercado consolidou 2 reais como um piso informal depois que o BC interveio com força em meados de setembro para evitar que a divisa caísse abaixo desse nível. No início de outubro, a autoridade monetária voltou a atuar, mas anunciou a intervenção com o dólar num nível um pouco mais distante do piso, em torno de 2,016 reais.

O investidor está agora mais atento a uma possível atuação do BC, uma vez que o dólar veio recuando lentamente nas últimas cinco sessões. Desde o dia 10, a moeda norte-americana cedeu 0,68 por cento, levando em conta o fechamento da quinta-feira.

O estrategista do Citibank, Sidney Yoshihiro, por meio de nota a clientes, avalia que a discussão sobre a manutenção, ou não, da Selic estável em 7,25 por cento ao longo de 2013, pode encorajar o mercado a testar o BC novamente.

A pressão externa desta sessão, no entanto, era para valorização do dólar. Os mercados internacionais estão mais pessimistas devido a resultados corporativos fracos e também com incertezas sobre a Espanha, que vacila em pedir um resgate à zona do euro que ativaria o programa de compra de títulos do Banco Central Europeu (BCE).

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, afirmou nesta sexta-feira que o país ainda não tomou uma decisão sobre um possível pedido de ajuda à zona do euro, acrescentando que se for necessário, a Espanha irá tomá-la.


“Lá fora as principais moedas estão se desvalorizando (ante o dólar) por causa da aversão ao risco.

A tendência aqui era para ser de alta (do dólar)”, disse Battistel.

Em relação a uma cesta de moedas, o dólar avançava 0,25 por cento, enquanto o euro cedia 0,24 por cento frente à divisa dos Estados Unidos.