Dólar sobe em reação a dados positivos na China e EUA

O euro e o iene não se beneficiaram da melhora do sentimento nos mercados

São Paulo – O dólar subiu frente às principais moedas nesta quinta-feira, em reação a novos sinais de que a economia norte-americana está se recuperando a um ritmo mais forte do que a de outros países. Indicadores positivos de atividade industrial, emprego e confiança do consumidor levaram os investidores a vender moedas vistas como “portos seguros”, como o iene, para comprar dólares e algumas moedas de países emergentes e exportadores de commodities.

Na noite de quarta, o índice de atividade oficial dos gerentes de compras da China mostrou expansão pela primeira vez em três meses. “Isso fez a sessão asiática entrar num modo de menos aversão a risco, e isso prosseguiu na sessão norte-americana”, disse o estrategista Samarjit Shankar, do Bank of New York Mellon. Entre as moedas que também subiram estavam o dólar australiano, sensível a indicadores da China, e o peso mexicano, que tende a reagir a mudanças na perspectiva de crescimento da economia dos Estados Unidos.

O euro e o iene não se beneficiaram da melhora do sentimento nos mercados, em parte porque as incertezas políticas e econômicas na Europa e no Japão continuaram a pesar. Cresceram as preocupações sobre a Grécia, onde a proposta de reduzir a dívida do país por meio de uma recompra de bônus levou a dúvidas sobre se os bancos que têm títulos gregos teriam de receber injeções de capital.

No Japão, a expectativa de que a desaceleração da economia obrigue o banco central a relaxar ainda mais a política monetária levou ao recuo do iene, disse Shankar.

No fim da tarde em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,2943, de US$ 1,2960 na véspera; o iene estava cotado a 103,73 por euro, de 103,37 por euro na quinta-feira. Frente à moeda norte-americana, o iene estava cotado a 80,13 por dólar, de 79,77 por dólar. A libra estava cotada a US$ 1,6129, de US$ 1,6134; o franco suíço estava cotado a 0,9320 por dólar, de 0,9314 por dólar na véspera. As informações são da Dow Jones.