Dólar sobe após dados dos EUA e fala de Draghi

O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 9 mil

São Paulo – O euro perdeu força, enquanto o dólar avançou ante seus principais rivais, após a divulgação de indicadores positivos nos Estados Unidos e o início da coletiva de imprensa do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Dragui.

Os índices futuros das bolsas de Nova York também ganharam força, mas o movimento não é firme, já que a agenda de indicadores norte-americanos está cheia nesta quinta-feira, 5.

O Departamento do Trabalho dos EUA divulgou hoje que o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 9 mil, para 323 mil, na semana até 31 de agosto. O resultado veio melhor do que a previsão dos analistas, de 330 mil.

Enquanto isso, Draghi voltou a reafirmar que as taxas básicas de juros na zona do euro continuarão nos níveis atuais ou mais baixos, mesmo com a recente recuperação da economia europeia. Ele também disse que os riscos para as projeções econômicas continuam sendo de baixa, em função de renovados temores geopolíticos.

Por volta das 9h45 (horário de Brasília), o euro caía para US$ 1,3170, de US$ 1,3206 no fim da tarde de ontem, enquanto o dólar avançava para 99,76 ienes, de 99,75 ienes ontem. O índice Dow Jones futuro caía 0,07%, já o Nasdaq subia 0,22% e o S&P 500 tinha alta de 0,10%.