Dólar sobe 1% para R$ 1,61 em reação a corte do juro

São Paulo – O dólar foi negociado em alta hoje o dia todo e retomou o nível de R$ 1,61. O ajuste da taxa de câmbio se deu em reação ao corte inesperado da taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic. Ontem à noite, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu reduzir os juros em 0,50 ponto porcentual, para 12% ao ano.

No encerramento das transações hoje no mercado interbancário de câmbio, o dólar comercial foi cotado a R$ 1,61%, alta de 1% em relação à taxa de fechamento da quarta-feira. Durante o dia, o dólar oscilou entre a taxa mínima de R$ 1,60 e a máxima de R$ 1,612. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista subiu 0,91% para R$ 1,6055. A cotação do euro comercial teve alta de 0,35% no dia e fechou a R$ 2,298.

O Banco Central fez à tarde um leilão de compra de dólar no mercado interbancário à vista, no qual definiu a taxa de corte das propostas em R$ 1,606.

Um operador de tesouraria bancária disse que os ingressos de recursos hoje podem ter sido mais fortes do que as saídas, porque alguns investidores estrangeiros teriam migrado para cá a fim de se antecipar às previsões de novos cortes da taxa Selic nas próximas reuniões do Copom. “Apesar das críticas e eventuais perdas financeiras contabilizadas por agentes do mercado que apostavam na manutenção da Selic, a queda do juro básico brasileiro para 12% ao ano ainda não tira a atratividade do diferencial de juros interno e externo, porque os juros nos países desenvolvidos estão próximos de zero. Por isso, a decisão do Copom não muda a percepção do mercado de que há espaço para a apreciação do real”, afirmou um operador de câmbio.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar teve queda de 0,59% hoje e foi cotado a R$ 1,673 na venda e a R$ 1,557 na compra. O euro turismo caiu 2,46%, para R$ 2,383 (venda) e R$ 2,257 (compra).