Dólar sobe 0,30% e fecha a R$ 1,672 após leilões do BC

Por Silvana Rocha

São Paulo – O dólar comercial subiu hoje pelo terceiro dia seguido e fechou a R$ 1,672 no mercado interbancário de câmbio, alta de 0,30%, mas no mês ainda acumula queda de 0,12%. O dólar à vista negociado na BM&F encerrou o pregão a R$ 1,6697, alta de 0,19%. O euro comercial teve pequena valorização de 0,04%, a R$ 2,281, mas no mês acumula baixa de 0,44%.

O Banco Central fez no início da tarde um leilão de swap cambial reverso (equivale à compra de dólares no mercado futuro) e, em seguida, um leilão de compra no mercado à vista e conseguiu mover o dólar de R$ 1,665 (-0,12%) para R$ 1,672. A intervenção do BC colocou a moeda americana em linha com a leve valorização do dólar ante o euro, embora no exterior o porto seguro dos investidores continue sendo o franco suíço. A razão é que a aversão ao risco cresceu nos mercados em meio ao avanço da violência na Líbia, o mais recente país do Oriente Médio e Norte da África a enfrentar uma revolta civil. O governante do país, Muamar Kadafi, prometeu hoje que vai continuar no poder, apesar dos pedidos para que renuncie. A preocupação é com a oferta de petróleo, porque a Líbia exporta 1,6 milhão de barris ao dia e o país produz 1,7% do total mundial e tem a maior reserva de petróleo da África. Ontem, a produção diária já teria sido reduzida em cerca de 50 mil barris.

Em consequência, os preços do petróleo voltaram a disparar, o que é negativo para moedas de maior risco, como o real, já que um petróleo mais alto pode frear o crescimento econômico global.

Câmbio turismo

Nas operação de câmbio turismo, o dólar registrou alta de 0,34% hoje, negociado a R$ 1,773 na venda e R$ 1,663 na compra. O euro turismo subiu 0,13% para R$ 2,373 (venda) e R$ 2,243 (compra).