Dólar sobe 0,16%, mas ainda abaixo de R$2, sem ação do BC

O dólar encerrou o dia com alta de 0,16 por cento, cotado a 1,9864 real na venda

São Paulo – O dólar fechou em leve alta ante o real nesta terça-feira, após registrar ganhos de quase 1 por cento durante o pregão, em mais um dia sem atuação do Banco Central. Segundo operadores, os investidores continuam acreditando que a moeda norte-americana não ultrapassará o patamar de 2 reais tão cedo.

“O BC entrou mais forte na venda e evitou especulação (na semana passada), aí o dólar foi para esses níveis (pouco abaixo de 1,99 real) e tende a ficar até que ocorra uma outro movimento maior de aversão ao risco”, afirmou o diretor de tesouraria de um banco, que prefere não ser identificado.

O dólar encerrou o dia com alta de 0,16 por cento, cotado a 1,9864 real na venda. Durante a maior parte do dia, a moeda registrou ganhos mais expressivos -chegando à máxima de 2,0015 reais, com alta de 0,92 por cento- mas perdeu fôlego por causa de correções técnicas.

Segundo operadores, mesmo a maior alta vista neste pregão não seria suficiente para o BC entrar no mercado. Nesta terça-feira, o BC ficou novamente sem atuar, após intensificar sua ação na semana passada, fazendo leilões de swap tradicional -que equivalem a uma venda de dólares no mercado futuro.


Na sexta-feira, o BC ainda chegou a fazer um leilão de swap logo pela manhã e com a moeda em torno da estabilidade, diferentemente de suas outras atuações, reforçando que está disposto a atuar quando julgar necessário. Neste dia, o dólar voltou a fechar abaixo de 2 reais.

“Não acredito que o BC vai atuar a qualquer preço e a qualquer volume. A alta vista hoje não foi suficiente para trazer o BC para o mercado, também não houve volume o suficiente”, acrescentou ainda o diretor.

Para ele, a moeda deve se manter em torno de 1,99 real, a não ser aumentar o movimento de aversão ao risco no exterior.

Um operador, que também prefere não ser identificado, por sua vez, acredita que a alta do dólar pode ter sido um movimento de realização depois de algumas quedas seguidas.

Ele também acredita que o BC não entraria nos níveis vistos nesta terça-feira, sendo que o mais provável é que atuaria com a moeda depois dos 2,05 reais, patamar em que já interveio algumas vezes.

O operador de câmbio da B&T Corretora de Câmbio, Marcos Trabbold, ainda cita que o dólar pode ter reduzido os ganhos depois que o mercado viu que o BC não atuaria. “O dólar começou a fazer uma correção depois que não aconteceu nada. Ele só vai entrar se tiver necessidade, se subir muito”, disse.