Dólar ronda estabilidade por receio de intervenção do BC

A possibilidade de novas intervenções do Banco Central deixa o mercado de câmbio apreensivo

São Paulo – O dólar operava próximo à estabilidade nesta sexta-feira, diante da apreensão do mercado de câmbio com a possibilidade de novas intervenções do Banco Central, enquanto no exterior a divisa norte-americana registrava desvalorização frente a outras moedas.

Às 11h10 (horário de Brasília), o dólar era negociado a 1,7109 real para venda, com variação negativa de 0,01 por cento. Na quinta-feira, moeda norte-americana subiu 0,23 por cento, para 1,7110 real na venda, após o BC intervir duas vezes para conter a desvalorização da divisa, que chegou a romper o patamar de 1,70 real ao longo da jornada.

O Banco Central realizou na manhã de quinta-feira um leilão de swap cambial reverso, que funciona como uma compra de dólares no mercado futuro. À tarde, foi a vez de a autoridade monetária comprar moeda no segmento à vista. “O mercado se assustou um pouco ontem com a atuação do BC”, afirmou o operador de câmbio da Interbolsa do Brasil Moacir Marcos Junior, acrescentando que tal ação deve diminuir a volatilidade do mercado nos próximos dias. “O Banco Central deu um recado de que não quer que o dólar passe um certo nível.” No entanto, Marcos Junior acredita que uma melhora no mercado externo pode voltar a pressionar a divisa para baixo.

Nesta sexta-feira, o euro alcançava as máximas em dez semanas ante o dólar, e os futuros das bolsas de valores norte-americanas valorizavam-se, com melhores perspectivas no cenário internacional. Além disso, a entrada de dólares no país continua alta.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, o Brasil registrou entrada líquida de 6,520 bilhões de dólares em fevereiro até o dia 17. Em relação a uma cesta de moedas, o dólar caía 0,42 por cento, enquanto o dólar australiano, moeda de perfil semelhante ao real, rondava a estabilidade.