Dólar chega a cair abaixo de R$ 3 com fraqueza nos EUA

Moeda norte-americana já vinha recuando desde o início do dia, após números mais fracos que o esperado sobre a economia chinesa

São Paulo – O dólar chegou a recuar abaixo de 3 reais nesta quarta-feira, acompanhando as perdas da moeda norte-americana em outras praças financeiras e a queda dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, após novos indicadores econômicos sugerirem entraves à recuperação da atividade na maior economia do mundo.

Às 10h26, a moeda norte-americana recuava 0,62 por cento, a 3,0008 reais na venda, após chegar a cair mais de 1 por cento, a 2,9817 reais, na mínima da sessão.

As vendas no varejo dos Estados Unidos ficaram inalteradas em abril, sugerindo que a fraqueza registrada no primeiro trimestre pode ter se estendido para os próximos meses.

Economistas consultados pela Reuters esperavam alta de 0,2 por cento no período.

“Os pontos de interrogação em torno da economia dos EUA centram-se em consumo e crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), e as vendas no varejo são o dado mais diretamente ligado a esses cálculos”, escreveu o diretor administrativo de estratégia do Citi Steven Englander em nota a clientes.

Sinais de fraqueza na economia norte-americana podem levar o Federal Reserve a postergar o aumento de juros, sustentando a atratividade de ativos de países emergentes. Nesse quadro, os rendimentos dos Treasuries caía, dando mais um respiro após a pressão recente.

A moeda norte-americana já vinha recuando desde o início do dia, após números mais fracos que o esperado sobre a economia chinesa alimentarem expectativas de que o país adotará mais estímulos econômicos.

No entanto, muitos operadores acreditam que a divisa não terá forças para se sustentar abaixo de 3 reais devido à reduzida intervenção do Banco Central no câmbio.

“Na última vez em que (o dólar) caiu abaixo de 3 reais, o BC diminuiu a rolagem (de swaps cambiais), então muita gente está agindo como se esse nível fosse um piso”, disse o operador de uma corretora internacional sob condição de anonimato.

Mais tarde, o Banco Central dará continuidade à rolagem dos swaps cambiais que vencem em junho, com oferta de até 8,1 mil contratos.

Texto atualizado às 11h15