Dólar mantém alta ante o real

Desde a abertura do pregão, a moeda exibe ganhos ante o real, em linha com o comportamento no exterior

São Paulo – O mercado doméstico de câmbio está bem mais tranquilo na manhã desta quarta-feira, em contraste com a agitação do pregão da véspera. Desde a abertura do pregão, o dólar exibe ganhos ante o real, em linha com o comportamento da moeda norte-americana no exterior, o que afasta, temporariamente, a possibilidade de intervenção do Banco Central, conforme verificada ontem.

Pouco depois das 11 horas, o dólar à vista no balcão subia 0,20%, cotado a R$ 2,0210, depois de subir até 0,25%, a R$ 2,0220, na máxima. Na mínima, a moeda norte-americana testou o campo negativo, ao ceder ligeiro 0,05%, a R$ 2,0190. No mesmo horário, em Nova York, o dólar norte-americano subia ante os dólares australiano, canadense e neozelandês. Já o euro estava de lado.

A despeito do avanço do dólar no pregão doméstico, operadores não afastam a chance de nova atuação do BC, semelhante à ocorrida na terça-feira, quando foram ofertados contratos de swap cambial reverso.

Porém, um operador de uma corretora paulista acha difícil o mercado financeiro testar novamente uma mínima abaixo de R$ 2,01, como visto na terça-feira, até porque o resultado do leilão realizado na terça-feira foi fraco, com um volume muito pequeno. “Não era o momento de testa (o piso informal de R$ 2,00)”, avalia.

Para esse profissional, que falou sob a condição de não ser identificado, é preciso haver uma maior confiança de entrada de recursos no País, para que o piso informal seja novamente testado. Essa percepção pode surgir tanto por uma eventual melhora do cenário doméstico quanto pela adoção de novas ações dos bancos centrais dos Estados Unidos e da Europa, elevando a liquidez.