Dólar comercial abre em baixa de 0,41%, a R$ 1,716

Por Cristina Canas

São Paulo – O dólar comercial abriu o dia em baixa de 0,41%, negociado a R$ 1,716 no mercado interbancário de câmbio. No pregão de ontem, a moeda americana recuou 0,35% e foi cotada a R$ 1,723 no fechamento. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar com liquidação à vista abriu o dia em baixa de 0,33%, a R$ 1,718.

Hoje é o dia em que se forma a ptax que liquidará os contratos futuros de dólar de dezembro, que vencem amanhã. A ptax é calculada pelo Banco Central (BC), mas seu valor é influenciado, nas vésperas dos vencimentos dos contratos, pela disputa dos investidores pelo melhor preço. Desta vez, essa disputa ocorre em meio a um cenário externo conturbado, o que tenderia a resultar numa taxa em alta.

Porém, a julgar pelo que ocorreu ontem, parte dos investidores – predominantemente os estrangeiros – deve atuar mais fortemente, impedindo a valorização do dólar ante o real. Isso pode descolar a trajetória das cotações no Brasil da tendência que está sendo vista no exterior.

A percepção dos operadores é de que, embora a queda do dólar ante o real esteja prevalecendo desde ontem, a despeito do rumo contrário visto no exterior, o pregão de hoje tende a ser de volatilidade. O ambiente internacional continua negativo em decorrência dos problemas de dívida soberana na Europa e da percepção de que a China continuará tomando medidas para frear sua economia.

A munição nova de hoje para a disputa pela ptax deve vir dos EUA. Hoje saem os dados de preços de moradias, o índice de atividade industrial dos gerentes de compras de Chicago em novembro e o índice de confiança do consumidor de novembro. Na Europa, os investidores devem acompanhar com atenção a audiência do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, às 13h30, com a comissão de Assuntos Monetários e Econômicos do Parlamento Europeu.