Dólar chega ao maior nível em quase três anos com Grécia

Os receios crescentes de agravamento da crise europeia estão reduzindo o apetite por ativos de risco

São Paulo – O dólar passou de R$ 1,96 na máxima da manhã e caminha para encerrar o dia no nível mais alto em quase três anos com os receios crescentes de agravamento da crise europeia reduzindo o apetite por ativos de risco.

A moeda americana subia 0,9 por cento às 12:16, para R$ 1,9568, após atingir até R$ 1,9649, maior nível desde julho de 2009. Os juros futuros sobem após resultado acima do esperado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de abril. No exterior, o euro cai pelo oitavo dia consecutivo com o impasse político na Grécia. As bolsas, commodities e títulos da Espanha e Itália recuam.

“O dólar mudou de patamar. Além das medidas do governo e da queda dos juros internos, lá fora a queda do euro está levando pressão às outras moedas”, disse Francisco Carvalho, diretor de câmbio da Liquidez DTVM Ltda, em entrevista por telefone de São Paulo. “O estrangeiro parou de vender dólar. Dependendo da evolução do cenário externo, o dólar poderá testar o limite de R$ 2,00.”

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse que a instituição “tem assegurada total autonomia para tomar decisões de política monetária, sem quaisquer interferências de outros órgãos do governo ou de agentes econômicos”, segundo comunicado distribuído por e-mail.

A nota foi em resposta a editorial publicado hoje no Estado de S. Paulo, disse o BC.