Dólar opera em queda de olho em reforma da Previdência e exterior

Às 10:26, o dólar avançava 0,01 por cento, a 3,6731 reais na venda, depois de encerrar na véspera com alta de 0,29 por cento, a 3,6728 reais

São Paulo – O dólar rondava estabilidade ante o real na terça-feira, em meio a um ambiente de maior apetite por risco no exterior e com foco na reforma da Previdência, tema da reunião ministerial desta terça-feira.

Às 12:03, o dólar recuava 0,11 por cento, a 3,6688 reais à venda, depois de encerrar a véspera com alta de 0,29 por cento, a 3,6728 reais.

O cliente futuro teve uma positiva de 0,05 por cento.

A reforma da Previdência é o tema da reunião ministerial desta terça-feira, que, na ausência de Bolsonaro, será presidida vice-presidente, Hamilton Mourão. O encontro ocorre às 9h, no Palácio do Planalto.

Na segunda-feira, o jornal O Estado de S.Paulo publicou em seu site reportagem citando uma minuta preliminar da proposta de reforma da Previdência, prevendo, entre os convidados máximos de 65 anos para homens e mulheres se aposentarem no Brasil.

No fim do dia, o especial é o da Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho, que está dizendo, que é o texto veiculado é apenas uma das propostas que estão sob análise do governo.

Mourão também se pronunciou após o esvaziamento, afirmando que ao próprio presidente Bolsonaro não agrada a ideia de ter as mínimas iguais para homens e mulheres.

Na avaliação de alguns participantes do mercado, uma dissonância nas falas de membros começa a dar sinais de um desgaste, que, ainda que de forma extremamente sutil, pode alimentar-se um novo ceticismo no mercado com relação à reforma.