Dólar cai após 3 dias de alta, alinhado com exterior

Oscilações da divisa no Brasil receberam suporte das incertezas sobre se o Banco Central continuará a fornecer a ração diária de swaps cambiais no próximo ano

São Paulo – O dólar fechou em queda em relação ao real nesta terça-feira, 9, interrompendo três sessões seguidas de alta, alinhado ao declínio visto ante outras moedas internacionais.

As oscilações da divisa no Brasil também receberam suporte das incertezas sobre se o Banco Central continuará a fornecer a ração diária de swaps cambiais no próximo ano.

No fim do dia, o dólar à vista fechou cotado a R$ 2,5950 (-0,61%), no balcão.

O giro de negócios totalizou US$ 1,094 bilhão, sendo US$ 1,015 bilhão em D+2. No mercado futuro de câmbio, o dólar para janeiro tinha queda de 0,27%, negociado a R$ 2,6115 perto das 16h30.

A moeda americana deu prosseguimento nesta terça-feira ao movimento de realização de lucros visto ontem no exterior, e recuou ante divisas importantes, como o euro e o iene.

Perto das 16h30, o dólar caía para 119,31 ienes, de 120,76 ienes no fim da tarde de ontem. O euro sobe para US$ 1,2387, de US$ 1,2315 no fim da tarde de ontem.

O dólar também sofreu influência das dúvidas sobre a continuidade dos leilões tradicionais de swaps cambiais em 2015.

Durante uma audiência no Congresso, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse que o programa de swap cambial conduzido pela instituição “tem atingido plenamente seus objetivos” e afirmou que não há necessidade de rever as posições no curto e médio prazos.

No entanto, ao ser questionado até quando o programa teria continuidade, ele respondeu que o BC tem duas semanas “para acompanhar o mercado e tomar uma decisão”.

As declarações de Tombini, dúbias, na visão de alguns agentes, provocaram alta pontual do dólar em relação ao real.

O movimento, contudo, foi revertido rapidamente e a moeda devolveu os ganhos, à medida que continuou a ser pressionada no exterior.

Pela manhã, o Banco Central vendeu os 4 mil contratos de swap cambial ofertados na operação diária, para os dois vencimentos, totalizando US$ 198,3 milhões.

Em outra operação separada, a instituição vendeu 10 mil contratos de swap cambial para rolagem dos vencimentos de 2 de janeiro de 2015, no valor total de US$ 491,6 milhões.