Dólar cai ante real, espera pesquisas e debate eleitoral

Preocupações com as crescentes chances de reeleição da presidente Dilma, cuja política econômica é alvo de críticas nos mercados, têm impulsionado a divisa

São Paulo – O dólar recuava ante o real, em um movimento de ajuste na esteira de outros mercados de câmbio, com investidores domésticos aguardando a divulgação de duas novas pesquisas eleitorais já a partir desta quinta-feira, além do último debate presidencial antes do primeiro turno.

Preocupações com as crescentes chances de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), cuja política econômica é alvo de críticas nos mercados, têm impulsionado a divisa dos EUA nas últimas semanas e a levaram a 2,48 reais, máxima em seis anos.

Às 10h29, a moeda norte-americana caía 0,44 por cento, a 2,4738 reais na venda, após subir 1,46 por cento na sessão passada e renovar as máximas desde 2008. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro estava em torno de 25 milhões de dólares.

“(O movimento desta sessão) é um recuo temporário para ajustar posições, não uma tendência”, afirmou o economista da 4Cast Pedro Tuesta.

Levantamentos do Datafolha e do Ibope, atentamente monitorados pelo mercado, podem ser divulgados a partir desta quinta-feira. Além disso, nesta noite, os três candidatos participarão de debate transmitido na TV Globo.

Nesta sessão, o dólar também recuava contra moedas importantes, como o euro e os pesos chileno e mexicano, incentivando um movimento de ajuste no mercado doméstico.

O recente movimento de valorização do dólar no mercado local fez o real voltar a se alinhar com outras moedas emergentes, que têm perdido valor desde o começo do ano diante da perspectiva de juros mais altos nos Estados Unidos, que poderiam atrair recursos atualmente aplicados em outras economias.

“Depois de tanta pressão nas últimas semanas, parece que os mercados estão dando um soluço”, disse o operador de uma corretora internacional.

Nesta manhã, o Banco Central brasileiro vendeu a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que correspondem a venda futura de dólares, pelas atuações diárias. Foram vendidos 1,5 mil contratos para 1º de junho e 2,5 mil para 1º de setembro de 2015, com volume equivalente a 197,1 milhões de dólares.

O BC também fará nesta sessão mais um leilão de rolagem dos swaps que vencem em 3 de novembro, que equivalem a 8,84 bilhões de dólares, com oferta de até 8 mil contratos. Até agora, a autoridade monetária já rolou cerca de 4,5 por cento do lote total.