Dólar cai 0,42% no dia ante o real, mas fecha semana com valorização

O dólar recuou 0,42 por cento, a 3,4621 reais na venda, acumulando alta de 1,48 por cento na semana e, no mês, já com valorização de quase 5 por cento

São Paulo – O dólar fechou em baixa ante o real nesta sexta-feira, repetindo o movimento da véspera, mas fechou a semana com ganhos em meio aos recentes temores de que os juros nos Estados Unidos poderiam subir mais do que o esperado neste ano, com potencial para afetar o fluxo global de capitais.

O dólar recuou 0,42 por cento, a 3,4621 reais na venda, acumulando alta de 1,48 por cento na semana e, no mês, já com valorização de quase 5 por cento. Na mínima desta sessão, a moeda norte-americana foi a 3,4534 reais e, na máxima, a 3,4814 reais.

O dólar futuro cedia cerca de 0,40 por cento no final da tarde.

“O consumo foi fraco, apesar do PIB (Produto Interno Bruto) mais forte. Vamos precisar de mais pistas para justificar as apostas de mais juros”, afirmou o gerente de câmbio do Grupo Ourominas, Mauriciano Cavalcante.

A economia dos Estados Unidos desacelerou no primeiro trimestre uma vez que os gastos dos consumidores cresceram no ritmo mais fraco em quase cinco anos, mas o revés deve ser temporário diante do aperto do mercado de trabalho e do amplo estímulo fiscal.

O PIB cresceu à taxa anual de 2,3 por cento, diante da previsão de alta de 2 por cento em pesquisa Reuters com analistas.

No exterior, o dólar tinha leve baixa ante uma cesta de moedas, mas caminhava para registrar seu melhor desempenho semanal desde novembro de 2016.

A moeda norte-americana também caía ante divisas de países e emergentes, como o peso mexicano e o rand sul-africano , em meio ao recuo dos rendimentos dos Treasuries.

Nos últimos dias, cresceu o temor nos mercados globais de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, possa elevar os juros mais vezes neste ano diante de sinais de melhor desempenho da economia dos Estados Unidos e inflação maior.

Juros elevados no país têm potencial para atrair recursos aplicados hoje em praças financeiras consideradas de maior risco, como a brasileira.

O BC vendeu neste pregão todo o lote de 3,7 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, e concluiu a rolagem dos 2,565 bilhões de dólares que vence em maio.

O próximo lote de swaps vence no início de junho, no total de 5,650 bilhões de dólares.

Segundo dados do BC, vencem 2 bilhões de dólares em leilão de linha –venda de dólares com compromisso de recompra– e havia expectativa entre os investidores de que o BC faça a rolagem integral.

(Edição de Patrícia Duarte)