Dólar, bolsa e juros seguem em queda

A taxa Ptax desta segunda-feira fechou a R$ 2,3870, com queda de 0,23% em relação ao fechamento da última sexta-feira (R$ 2,3924)

São Paulo – O dólar mantinha as perdas ante o real no mercado à vista nesta segunda-feira, 17, negociado em torno de R$ 2,3820 (-0,08%) perto das 14h30. Na primeira parte da sessão, a moeda registrou alta em relação ao real, recebendo suporte de uma realização de lucros após recuar 1,61% nas duas sessões anteriores.

A taxa Ptax desta segunda-feira fechou a R$ 2,3870, com queda de 0,23% em relação ao fechamento da última sexta-feira (R$ 2,3924). Um feriado nos EUA provoca baixa liquidez nos mercados financeiros hoje.

Enquanto isso, as taxas de juros futuros seguiam em queda, nos mesmos patamares observados há uma hora. No horário acima, a taxa do DI para abril de 2014 estava em 10,558%, de 10,568% no ajuste anterior. O juro para janeiro de 2015 marcava 11,23%, de 11,32% no ajuste de sexta-feira, 14. E o DI para janeiro de 2017 apontava taxa de 12,61%, de 12,69% no ajuste anterior.

Sobre o cenário de inflação, o economista André Braz, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), disse que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) deve continuar andando de lado nas próximas apurações. Segundo ele, o indicador de preços no atacado não deve fugir do resultado de 0,07%, observado no âmbito do IGP-10 de fevereiro.

“O IPA deve continuar com uma taxa baixa, mesmo que acelere um pouco devido a quedas mais discretas de produtos agrícolas”, afirmou Braz. Hoje, a FGV informou que o IGP-10 de fevereiro subiu 0,30%, após alta de 0,58% em janeiro. O indicador ficou dentro das projeções.

No mercado acionário, o exercício de contratos de opções sobre ações movimentou hoje, no segmento Bovespa, R$ 1,7 bilhão, dos quais R$ 735 milhões em opções de compra e R$ 1,02 bilhões em opções de venda, de acordo com dados finais divulgados pela BM&FBovespa.

Por volta das 14h30, o Ibovespa caía 0,40%, aos 48.006,70 pontos. O volume negociado era de R$ 3,097 bilhões, com previsão de R$ 6,01 bilhões no encerramento do pregão.

As ações PN e ON da Petrobras recuavam 0,41% e 0,73%, respectivamente. Os papéis da Vale seguiam na mão contrária, com avanço de 0,03% (PNA) e 0,37% (ON). No front corporativo, a CPFL Renováveis e a Desa informaram que trabalham com a previsão de que a associação entre as duas empresas seja concluída até o fim do segundo trimestre de 2014.