Dólar avança com temores sobre conflito EUA-Irã

Às 10:33, o dólar avançava 0,55%, a 4,0865 reais na venda

São Paulo — O dólar avançava ante o real nesta terça-feira, ampliando os ganhos por uma quarta sessão depois de tensões geopolíticas no Oriente Médio, com os investidores à espera de sinais sobre o futuro das disputas entre Estados Unidos e Irã.

Na última sexta-feira, a notícia de que um ataque norte-americano em Bagdá matou um importante general iraniano abalou os mercados globais, levando os investidores a fugir para a segurança em meio a temores de uma intensificação dos conflitos regionais do Oriente Médio.

Nesta terça-feira, a ausência de novas notícias negativas sobre os conflitos entre Washington e Teerã deixava os mercados em espera, reduzindo as apostas arriscadas.

“Por ora, é difícil mensurar a probabilidade de um cenário mais extremo ocorrer (apesar de não ser impossível)…”, disse a XP em nota. “Portanto, os investidores precificam apenas os eventos atuais, possíveis de quantificação, mas aguardam com atenção os próximos desdobramentos deste evento.”

Italo Abucater, gerente de câmbio da Tullett Prebon, disse que o movimento desta terça-feira reflete um mercado que tem “a mania de ficar em posição vendida” ao aguardar retornos de capital que saíram nos últimos trimestres. Isso mais baixa liquidez no início do ano — com alguns investidores ainda de férias — e um cenário externo tenso causa a alta do dólar.

“Um dólar abaixo de 4,10 é fictício, não retrata a realidade. Tem que se pensar em uma moeda (real) desvalorizada, que ainda é a realidade de um país que está caminhando para retomar o crescimento”, completou.

Às 10:33, o dólar avançava 0,55%, a 4,0865 reais na venda. Depois de tocar 4,0557 reais na mínima do dia, o dólar chegou a 4,0895 reais na máxima da sessão.

O dólar interbancário fechou a sessão anterior em alta de 0,22%, a 4,0643 reais na venda.

Nesta terça-feira, o contrato mais negociado de dólar futuro ganhava 0,53%, a 4,089 reais.

No exterior, o índice do dólar ganhava força contra as principais moedas, subindo 0,16%. A moeda norte-americana registrava alta contra os principais pares emergentes do real, como o peso mexicano, o rand sul-africano e a lira turca.