Dados macroeconômicos ajudam ações europeias a se recuperar

A redução do déficit comercial dos EUA, assim como o aumento da demanda por exportações da China, melhoraram as perspectivas de crescimento econômico global

Londres – Uma recuperação nas ações de bancos ajudou os papéis europeus a recuperarem-se nesta sexta-feira, após dados indicando uma retomada possivelmente mais forte no crescimento mundial ajudarem a impulsionar a demanda por ações.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou com alta de 1,2 por cento, a 1.161 pontos.

A redução do déficit comercial norte-americano e dados publicados durante a noite que mostram crescente demanda por exportações chinesas nutriram esperanças de que a economia global vai fortalecer.

Enquanto isso, líderes da União Europeia encerraram um período de incerteza ao chegar a um acordo sobre os planos de despesas de longo prazo do bloco econômico, após mais de 24 horas de negociações.

“Os principais motivadores da recuperação macroeconômica em janeiro e o subsequente rali acionário parecem estar se sustentando e, como resultado, boa parte do recuo desta semana foi erradicado”, disse o operador de ações do Saxo Bank Adam Seagrave.


Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 0,57 por cento, a 6.263 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,81 por cento, para 7.652 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 1,35 por cento, para 3.649 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,40 por cento, para 16.630 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 avançou 2,00 por cento, para 8.174 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em alta de 0,29 por cento, para 6.133 pontos.