CVM suspende oferta de ações da Ser Educacional

Decisão foi tomada em virtude de o prospecto da distribuição "não contemplar informações completas, precisas e atuais"

São Paulo – A Superintendência de Registro de Valores Mobiliários (SRE) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou a suspensão por até 30 dias da oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Ser Educacional, que previa precificar a operação no pregão desta sexta-feira, 18.

De acordo com o comunicado divulgado pela CVM nesta noite, a decisão foi tomada em virtude de o prospecto da distribuição “não contemplar informações completas, precisas e atuais para uma tomada de decisão consciente por parte dos investidores”.

“Com efeito, a SRE, na presente data, verificou a omissão de informação relevante no prospecto e demais documentos da oferta, relacionada à edição, em 12 de setembro de 2013, pela Receita Federal do Brasil, da Instrução Normativa SRF nº 1394, que altera sensivelmente a isenção fiscal obtida pelas instituições privadas de ensino superior signatárias do Prouni, dentre as quais a companhia se insere”, afirma a autarquia na nota.

A CVM ressalta que a suspensão poderá ser revogada, dentro do prazo de até 30 dias, se a irregularidade apontada for devidamente corrigida. “Caso contrário, o pedido de registro da oferta será indeferido.”

A oferta primária e secundária da Ser Educacional compreende 30.779.040 ações no Novo Mercado. A quantidade de papéis poderá ser acrescida de 20% de lote suplementar e 15% de lote adicional. Já considerando esses lotes extras, a oferta poderá chegar até R$ 976,465 milhões, considerando o teto do preço sugerido, que vai de R$ 19,50 a R$ 23,50.