CVM favorece minoritários e CPFL Renováveis pagará mais por ações

Com decisão, ações da companhia disparam nesta quarta-feira na Bolsa; controladora deve recorrer

São Paulo — As ações da CPFL Renováveis disparam no pregão de hoje, depois de uma decisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que obriga a controladora da empresa a pagar mais pelos papéis na oferta pública de aquisição (OPA).

A autarquia entendeu que o valor proposto pela chinesa State Grid — que adquiriu o controle da CPFL Energia em janeiro no ano passado — não era justo com os acionistas da Renováveis. A decisão veio após a abertura de um processo por um grupo de minoritários.

Assim, o preço das ações deve passar de 12,20 reais para, no mínimo, 16,69 reais. 

Por volta das 14h, os papéis da companhia da energia eram negociados a 16,17 reais, após subirem 16%,

Com a mudança, a State Grid deverá desembolsar cerca de 1 bilhão de reais a mais que o previsto antes da compra da empresa de energia, como informa o Valor Econômico.

No ano passado, a empresa chinesa pagou 14,2 bilhões de reais pelo bloco do controle da CPFL, que antes pertencia à empreiteira Camargo Corrêa.

Pelos termos da compra, a State Grid foi obrigada a lançar a OPA da unidade de renováveis. Ela irá recorrer da decisão sobre o preço.

Com agência Reuters.