Crédit Agricole: Sensação de que não há ‘plano B’ afeta mercado

Segundo o estrategista-chefe da instituição, há dúvidas sobre a utilização de instrumentos de política monetária para reativar a economia dos EUA e da Europa

São Paulo – A volatilidade no mercado está sendo reforçada pelo receio de que as autoridades mundiais tenham alternativas limitadas de instrumentos para lidar com um eventual agravamento da crise, disse Vladimir Caramaschi, estrategista-chefe do Crédit Agricole Brasil SA.

“Isso gera uma ansiedade de que o próprio medo leve os preços dos ativos para baixo”, disse Caramaschi em entrevista por telefone de São Paulo. “Há uma queda de ficha de que não há um plano B”.

Segundo ele, há dúvidas sobre a capacidade tanto de os Estados Unidos quanto a Europa usarem com eficácia instrumentos de política fiscal e monetária para reativar a economia. “os juros já estão perto de zero e o que um QE3 poderá fazer é duvidoso”.

Os investidores se preocupam tanto com os sinais de desaceleração dos EUA quanto com a dívida europeia, disse Caramaschi.

“Se os EUA não crescem, fica mais difícil para a periferia da Europa sair da crise pela via do crescimento”.