Conselhos de empresas devem ser revistos, diz CVM

Leonardo Pereira, novo presidente do órgão, afirmou que os conselhos de administração das empresas precisam ser pensados, revistos e renovados

São Paulo – Para o novo presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Leonardo Pereira, os conselhos de administração das empresas precisam ser pensados, revistos e renovados para terem um modelo de atuação em linha com o atual cenário brasileiro. Embora essa questão tenha evoluído muito nos últimos tempos, é necessário que o papel e a responsabilidade dos conselhos sejam bem definidos, afirmou. Pereira tomou posse na última segunda-feira (5).

Segundo o novo presidente da CVM, a discussão sobre as companhias chamadas “corporations” – empresas sem acionistas controladores – é uma oportunidade de trazer a debate o modelo de conselho de administração atualmente adotado pelas empresas. “A capacitação dos integrantes do conselho de administração tem de ser trabalhada e exigida. Qual realmente é a missão e a responsabilidade dos conselhos?”, questionou, em seu primeiro pronunciamento público, após a posse.

Se é desejo do mercado ser mais sério e pegar “carona” no cenário de juros mais baixos, disse Pereira, é necessário que os conselhos saibam o seu papel, pois isso não tem acontecido na prática. Ele também destacou que qualquer empresa pode ter sucesso em sua trajetória, independentemente do modelo de controle adotado.

“‘Corporation’ é um assunto novo e merece atenção. Mas não é o modelo de controle que tem importância e sim a governança da companhia”, avaliou Pereira. “Não adianta ter 100% da forma cumprida. Se não há substância no modelo adotado, não vale nada”, acrescentou.

O novo presidente da CVM participou, nesta quarta-feira de seminário promovido pela Associação de Investidores no Mercado de Capitais (Amec). Ele tomou posse quase quatro meses após o término do mandato da ex-presidente do órgão regulador, Maria Helena Santana. Pereira, que veio da Gol, comandará a autarquia até 14 de julho de 2017.