China abrirá suas bolsas às empresas fiduciárias

A finalidade é atrair investidores e revitalizar os pregões do país

Xangai – A Comissão Reguladora da Bolsa de Valores da China (CRMV) abrirá suas duas bolsas de Xangai e Shenzhen às empresas fiduciárias para tentar atrair investidores e revitalizar os pregões do país, segundo anunciou o próprio organismo mediante comunicado.

A CRMV não revelou, por enquanto, a partir de que momento entrará em vigor a medida, embora também não tivesse excluído formalmente as empresas deste tipo da Bolsa de Valores, mas as tinha obrigado a se retirar mediante avisos verbais caso por caso em 2009, explica a edição de hoje do jornal “Shanghai Daily”.

A medida chega em um momento em que o principal indicador dos pregões chineses, o índice geral de Xangai, caiu cerca de 20% neste ano, até seu valor mais baixo em 43 meses, após afundar 21,68% em 2011 e outros 14% em 2010.