CCR tem boas perspectivas, mas pouco fôlego na bolsa, diz Planner-Prosper

Nova avaliação dos papéis considera a entrada da empresa em concessões de aeroportos na América Central

São Paulo – A corretora Planner-Prosper reiniciou a cobertura das ações da CCR Rodovias (CCRO3) com recomendação classificada em “neutra”. O preço justo para cada papel foi fixado em 16,53 reais, um potencial de valorização de 2%.

A avaliação considera a entrada da CCR em concessões de aeroportos na América Central, fato que, segundo o analista Brian Tadeu Moretti, deve ser encarado como um pequeno ajuste da empresa para participar ativamente dos próximos leilões de aeroportos no Brasil.
“Considerando as recentes aquisições da CCR, não esperamos um aumento significativo no nosso preço justo, por conta da pequena participação destes projetos no portfólio da empresa”, avalia Moretti.

O relatório destaca ainda que o governo do estado de São Paulo deve transferir à iniciativa privada os direitos de operação de 31 aeroportos no interior do estado, conforme revelou o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo, responsável pela operação de 32 aeroportos públicos.

Alguns estudos de viabilidade já estão em andamento e o prazo das concessões deverá ser superiores a 30 anos, no formato de parceira público privada. Apesar do elevado número de aeroportos, apenas seis estão autorizados a operar com a aviação comercial, os Aeroportos de São José do Rio Preto, Marília, Araçatuba, Bauru, Presidente Prudente e Ribeirão Preto.

“Acreditamos que a empresa possa estar interessada em alguns destes ativos estratégicos. A maioria destes aeroportos está localizada em proximidade com o portfólio de rodovias da CCR, permitindo a oportunidade de capturar as taxas de crescimento da região com maior eficiência”, afirma Moretti.

Em 2012, as ações da CCR acumulam valorização de 33%. Já os papéis da concorrente OHL Brasil (OHLB3) acumulam ganhos de 44,8%, enquanto as ações da Ecorodovias (ECOR3) avançam 11%.