Capitalismo camarada corrompe o livre mercado,diz economista

David Stockman, que foi diretor de orçamento do ex-presidente americano Reagan, faz críticas à constante intervenção do banco central americano no mercado financeiro

São Paulo – O Fed está sendo conduzido pelo homem mais perigoso que já ocupou um alto cargo na história dos Estados Unidos. É apontando todas as armas a Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve (o banco central americano) que o economista David Stockman começou sua fala na conferência Banco Central, Seguro de Depósito e Declínio Econômico, que aconteceu em Manhattan no dia 14 deste mês.

Em 30 minutos, Stockman, que foi diretor de orçamento dos EUA no governo de Ronald Reagan, argumentou sobre como a decisão do dia anterior – quando o Fed anunciou que vai comprar 40 bilhões de dólares por mês em títulos lastreados em hipotecas, em um programa sem previsão de término – e o capitalismo camarada estariam corrompendo o livre mercado americano.

Essa é a abominação final, isso foi longe demais, disse Stockman. Para ele, o que Ben Bernanke diz ao mercado com os seguidos programas de flexibilização monetária é que a taxa de juros não significa nada, e que os preços das ações está subprecificado. Você simplesmente está destruindo o mercado de capitais, ele conclui.

Para provar seu ponto, ele usa as estatísticas do índice S&P 500 dos últimos 18 anos. Stockman diz que ao observar o índice S&P 500, que é baseado nos preços de ações das 500 principais empresas americanas, nota-se que ele quadriplicou seu valor, atingindo os 1.460 pontos no dia do último anúncio do Fed. Mas, quando excluídas as 24 horas anteriores a cada reunião do Fomc (Federal Open Market Comittee) nesses mesmos 18 anos, o que se vê é que o índice passou de 425 pontos em 1994, para apenas 600 pontos em 2012.

Stockman conclui: Se o banco central destroi o mercado financeiro, então o capitalismo também morre. Como você pode ter uma economia capitalista se você destruiu seu epicentro, que é o mercado de capitais?