BRF desaba quase 20% com nova fase da operação da Carne Fraca

o ex-presidente da BRF, Pedro de Andrade Faria e o ex-diretor-vice-presidente Hélio Rubens Mendes dos Santos Júnior foram presos

São Paulo – A BRF teve um dia difícil na Bolsa. Após suas ações abrirem o pregão em queda e entrarem em leilão na manhã desta segunda-feira, os papéis da fabricante de alimentos fecharam o dia em queda de 19,75%, cotados a R$ 24,75.

As ações repercutem a nova fase da operação da Carne Fraca, denominada de Operação Trapaça, realizada na manhã de hoje. A Polícia Federal cumpre 11 mandados de prisão e 27 de condução coercitiva.

A operação mira fraudes laboratoriais perante o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Segundo o Estado de S. Paulo, o ex-presidente da BRF, Pedro de Andrade Faria (2015 a 31 de dezembro de 2017) e o ex-diretor-vice-presidente Hélio Rubens Mendes dos Santos Júnior foram presos.

A operação aponta que cinco laboratórios credenciados junto a Agricultura e setores de análises do grupo empresarial fraudavam resultados de exames em amostras de seu processo industrial, informando ao Serviço de Inspeção Federal dados fictícios em laudos e planilhas técnicos.

Segundo a PF, as fraudes teriam como finalidade burlar o Serviço de Inspeção Federal (SIF/MAPA), do Ministério, e, com isso, não permitir que a Pasta fiscalizasse com eficácia a qualidade do processo industrial da empresa.

Também teriam sido constatadas manobras extrajudiciais, operadas pelos executivos do grupo para acobertar a prática desses ilícitos ao longo das investigações.

*Com Reuters e Estadão