Braskem afunda na Bolsa após declarações do MPF

Queda é impulsionada pelas declarações do Ministério Público Federal na última sexta-feira

São Paulo – As ações da petroquímica Braskem registravam perdas de mais de 8% na Bovespa nesta segunda-feira. Os papéis da companhia são cotados na casa dos 11 reais e a queda é impulsionada pelas declarações do Ministério Público Federal na última sexta-feira.

Em uma coletiva, o ministério afirmou que a Petrobras teve um prejuízo de 6 bilhões de reais entre 2009 e 2014 com a venda de nafta para a Braskem, controlada pelo grupo Odebrecht. 

De acordo com a denúncia, o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa fechou uma negociação de venda de nafta para a Braskem em 2009. Os preços praticados estavam abaixo do preço internacional. 

Em comunicado enviado ao mercado, a Braskem negou que o contrato tenha causado prejuízo à petrolífera. De acordo com a empresa, ela e sua concorrente que também participou das negociações, a Quattor, eram as únicas consumidoras.

E, de acordo com a Braskem, a Petrobras teria custos logísticos muito altos se precisasse exportar nafta, caso não vendesse sua produção aqui.

“Não faz nenhum sentido falar em R$ 6 bilhões de prejuízo à Petrobras a partir do conhecimento técnico do mercado de combustíveis e petroquímicos brasileiros”, afirma a Braskem em nota. 

As ações da petroquímica já acumulam uma queda de 18,72% no mês e 33,40% no ano.