BrasilAgro adia oferta de ações por condições de mercado

Início das reservas dos papéis estava marcado para o próximo dia 21 de fevereiro

São Paulo – A BrasilAgro (AGRO3) decidiu adiar a oferta de ações primária para “avaliar as condições de mercados” por um período de até três semanas, informou o departamento de Relações com Investidores da empresa em contato com a reportagem de Exame.com. O pedido de prorrogação foi feito ontem à Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

De acordo com a BrasilAgro, a decisão também foi influenciada pela recomendação dos bancos envolvidos na operação. A oferta tem como coordenador líder o Bank of America Merrill Lynch, além do BTG Pactual e JPMorgan. O início das reservas dos papéis estava programado para o próximo dia 21 de fevereiro, com prazo até 1º de março.

Segundo o prospecto, a intenção era a de utilizar aproximadamente 70% dos recursos captados com a aquisição de propriedades rurais com “significativo potencial de geração de valor”. Os 30% restantes seriam direcionados para a o desenvolvimento e transformação das propriedades rurais já existentes no portfólio.

“Uma possível emissão ajudará a aumentar a liquidez das ações da empresa, com expectativa de aumentar o free-float (um nível de 25% de seu capital em circulação no mercado), dependendo da participação dos principais acionistas”, afirmaram os analistas do HSBC Pedro Herrera e Diego Maia, em relatório divulgado hoje.

Leia Mais: Ação da BrasilAgro ganha com reavaliação de terras

Direto da Bolsa: Mercado dá um chega pra lá nos primeiros IPOs de 2011