Bradesco tenta “bombar” ações ordinárias com investidores estrangeiros

Proposta de aumentar participação de estrangeiros no capital votante fez procura por papéis BBDC3 disparar

São Paulo – Os acionistas que detêm as ações ordinárias (BBDC3) do Bradesco tiveram hoje uma agradável surpresa. Fora do Ibovespa, o principal índice de ações do mercado de ações brasileiro, os papéis sempre tiveram uma baixa liquidez e volume quando comparados aos preferenciais (BBDC4), esses integrantes do índice.

O número de negócios feitos hoje com as ações ordinárias do banco, contudo, chegou a 6.817 e gerou um volume de 236,7 milhões de reais. Em 2011, para se ter uma ideia, no dia mais movimentado, o número de negócios chegou a 1.634. O volume ficou em 17,3 milhões de reais. A explicação para tal movimento incomum está em um comunicado distribuído hoje cedo pela administração do Bradesco.

O banco brasileiro manifestou a intenção de elevar o capital votante da empresa detido por investidores estrangeiros. O objetivo é a criação de um programa de ADRs (American Depositary Receipts) na bolsa de Nova York com o lastro em ações ordinárias. O pedido feito ao Banco Central solicita ainda o aumento do limite da participação estrangeira, atualmente de 14%, para 45% no capital ordinário.

Na sexta-feira, as ações ordinárias do banco, com menor liquidez, eram negociadas com um desconto de aproximadamente 20%. Para os analistas, essa pode ser uma boa oportunidade para adquirir os papéis ordinários, uma vez que o aumento de liquidez a ser criado pelo aumento da participação dos estrangeiros possa reduzir o diferencial entre as ações.

“Assumindo que o programa de ADRs ordinárias eventualmente seja aprovado pelos reguladores, acreditamos que o desconto em relação às ações preferenciais deve se reduzir (desde 2008, o desconto entre os papéis está entre 15-20%), basicamente como resultado do aumento de liquidez”, explicam os analistas do Barclays, Roberto Attuch and Fabio Zagatti.

Attuch e Zaffati ressaltam ainda que as ações preferenciais recebem 10% a mais em dividendos do que as ordinárias. As ordinárias, por sua vez, têm o benefício de 100% de tag-along na ocasião de uma troca de controle, enquanto que o percentual cai para 80% para as ações preferenciais. As ações ordinárias encerraram o dia com uma alta de 3,83%, negociadas a 26 reais. Os papéis preferenciais recuaram 0,69%, vendidos a 31,40 reais.