BOVESPA-Vale e Petrobras sustentam leve alta do índice

SÃO PAULO, 14 de outubro (Reuters) – O principal índice das
ações brasileiras subia para perto de 72 mil pontos nesta
quinta-feira, com destaque para as blue chips Vale e Petrobras
em mais um dia de alta das commodities no exterior.

Às 12h15, o Ibovespa avançava 0,32 por cento, a
71.900 pontos. O giro do pregão era de 3,7 bilhões de reais.

No exterior, os índices Standard & Poor’s 500 e Dow
Jones giravam em torno da estabilidade. O índice
Reuters-Jefferies de commodities , que tem reagido à
queda global do dólar e a números robustos de atividade na
China, subia 0,7 por cento, acima de 300 pontos.

“Isso é bastante positivo para mercados emergentes e ações
ligadas a commodities”, disse Leonardo Bardese, operador da
corretora BGC Liquidez.

“A Vale está sendo o grande motor da bolsa hoje.”

A ação preferencial da mineradora tinha alta de
1,55 por cento, a 48,38 reais, e a ação ordinária
subia 1,6 por cento, a 54,47 reais. Analistas têm preferido as
ações de mineradoras, em detrimento das siderúrgicas, diante do
comportamento dos preços de minério de ferro.

Esta sessão marca ainda o último dia para investidores
interessados em receber da mineradora remuneração mínima e
adicional em 29 de outubro, conforme comunicado no mês passado
terem a ação em carteira. As duas propostas de pagamento,
somadas, alcançam valor bruto de 1,75 bilhão de dólares. Para
participar, é preciso manter as ações em carteira neste pregão.
[ID:nN23244189]

Já as ações preferenciais da Petrobras subiam
2,3 por cento, a 26,30 reais, e recuperavam parte das perdas
registradas nas últimas sessões.

A ação tem mostrado volatilidade após o processo de
capitalização, realizado no mês passado, com vários analistas
revisando para baixo suas projeções para a estatal.

Na ponta de baixo, o principal destaque do mercado era a
Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) , com queda
de 6,8 por cento, a 46,26 reais, e o maior volume do pregão.

Na primeira hora de pregão, o Santander realizou leilão de
venda com 15.100.000 ações da CCR no mercado, a 43 reais, em
operação de volume financeiro superior a 600 milhões de reais.
De acordo com um operador, a oferta está relacionada com a
venda de participação da portuguesa Brisa .

Em junho, a Brisa anunciou a venda da fatia de 16,35 por
cento que possuía na CCR, sendo 6 por cento aos acionistas
Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Grupo Soares Pinto e 10,35
por cento –cerca de 1,7 bilhão de reais na época– em
colocação privada no mercado. [ID:nN23188357]

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Aluísio Alves)