Bovespa sobe, mas não recupera nível de 54 mil pontos

Vale, Petrobras e siderúrgicas, alguns dos papéis mais castigados na véspera, comandaram a recuperação

São Paulo – Os indicadores positivos divulgados nos EUA ajudaram a Bovespa a devolver parte da queda da segunda-feira. O índice teve alta firme, perto de 2%, mas insuficiente para recuperar o nível de 54 mil pontos. Vale, Petrobras e siderúrgicas, alguns dos papéis mais castigados na véspera também comandaram a recuperação desta terça-feira, 16, dia em que apenas cinco ações do índice recuaram.

O Ibovespa terminou o pregão em alta de 1,97%, aos 53.990,83 pontos. Na mínima, registrou 52.953 pontos (+0,01%) e, na máxima, 54.095 pontos (+2,16%). No mês, acumula perda de 4,19% e, no ano, de 11,42%. O giro financeiro totalizou R$ 6,089 bilhões.

A alta da Bovespa desta terça-feira foi patrocinada pelos dados divulgados nos EUA, que também favoreceram os ganhos das bolsas por lá. O Dow Jones terminou com variação positiva de 1,08%, aos 14.756,78 pontos, o S&P subiu 1,43%, aos 1.574,57 pontos, e o Nasdaq avançou 1,50%, aos 3.264.63 pontos.

Os destaques foram as construções de moradias iniciadas, que subiram 7% em março ante o mês anterior, para o maior nível desde junho de 2008, ante previsão de acréscimo de apenas 1,7%. Além disso, o resultado de fevereiro foi revisado para aumento de 7,3%, de um ganho estimado em 0,8% na leitura original. A produção industrial norte-americana, por sua vez, apresentou alta de 0,4% em março ante fevereiro, maior do que o aumento de 0,2% esperado por analistas.

Aqui, Petrobras e Vale deram sustentação ao Ibovespa: Petrobras ON, +1,92%, PN, +2,73%, Vale ON, +2,28%, PNA, +2,76%. OGX ON subiu 3,70%.

As siderúrgicas acompanharam: Gerdau PN, +4,01%, Metalúrgica Gerdau PN, +3,14%, Usiminas PNA, +2,04%, e Usiminas ON, +4,25%. CSN ON foi exceção: caiu em boa parte do dia e fechou em -1,92%.

Gafisa ON liderou as quedas do Ibovespa, ao cair 4,95%, após divulgar prévia operacional do primeiro trimestre de 2013.